Jogos de pôquer

SEÇÕES

Chico Lucas diz que meta será erradicar as facções criminosas no Piauí

O ex-presidente da OAB falou ainda sobre a vitória de Rafael Fonteles e Lula e de como erá atuar o próximo governo

FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

Francisco Lucas Costa Veloso,Chico Lucas, novo Secretário de Segurança do Estado do Piauí, concedeu entrevista, na manhã desta terça-feira (1º), ao apresentador Ieldyson Vasconcelos, do Bom Dia Jogos de pôquer, onde falou sobre a eleição de Rafael Fonteles,aeleição de Lula e sobre sua indicação à Secretaria de Segurança.

Sobre a campanha que deu a vitória a Rafael Fonteles e Lula, Chico Lulas disse que foi um processo muito bonito e conversado, tanto com a classe política como também com a sociedade, de forma engajada e com muita energia.

"Foi uma vitória muito bacana, temos o nosso presidente Lula de volta, foi uma campanha bonita que o Rafael conduziu aqui no Piauí, principalmente dialogando com a classe política, com a sociedade, mas também fazendo uma campanha engajada, uma campanha com muita energia, Rafael mostrou que tem muita disposição para governar o Piauí e o povo acreditou na renovação política e deu a ele 57% dos votos. Ele que vem com um novo modelo, o mesmo governo, nós temos aí uma continuidade, desde o governador Wellington Dias e da governadora Regina Sousa, mas Rafael vai imprimir também sua marca, que é a questão da gestão, a gestão pública precisa ser eficiente, precisa mostrar resultado e precisa prestar um serviço de qualidade para a população", disse.

Chico Lucas diz que meta será erradicar as facções criminosas no Piauí - Imagem: Reprodução

Foi perguntado ao novo secretário de Segurança, se os resultados do novo governo de Rafael aparecerão a curto e médio prazo, e se seguirá o estilo da iniciativa privada.

"Temos que ter metas, toda pessoa quer chegar num local e ser atendido, então, a gente chega numa repartição pública e precisamos ter uma resposta, eu acho que hoje, o serviço público, ele melhorou muito, mas precisa avançar muito mais, e acho que vai ser essa marca, além disso, geração de trabalho, emprego e renda, dar oportunidades, nós temos um estado com um potencial muito grande e com essa votação que nós demos ao Lula, acho que agora é a hora de receber investimentos", explanou o secretário.

Chico Lucas foi ainda sobre a força do Piauí na vitória de Lula e disse ser a hora do presidente eleito retribuir essa votação expressiva.

"O estado que deu maior votação para o Lula. O relator do orçamento é o senador Marcelo Castro, que nomeou ontem, o nosso senador Wellington Dias, para discutir o orçamento da União com o senador Marcelo Castro e o governador Rafael Fonteles, então, é hora de sentar na mesa e chegar ao presidente Lula parabenizando, mas dizendo, presidente, nosso Piauí lhe deu uma votação expressiva, vamos retribuir com os programas que já foram a marca do presidente, programa Minha Casa Minha Vida que é muito importante, FIES, PROUNI, então, eu acho que o presidente Lula vai voltar essa marca e as pessoas tem que ter a ideia que o sudeste acha que a gente vota por conta de programas assistenciais, é de um preconceito muito grande, quando, na verdade, a gente vota, porque sabe, que foi o único presidente que deu atenção e a realidade no Piauí nos últimos 20 anos mudou muito, mudou para melhor, e é isso que a gente fez, agradeceu e acreditou num futuro ainda melhor para o Piauí."

Chico Lulas falou sobre os manifestos bolsonaristas em rodovias pelo país e sobre a não manifestação sobre a derrota nas eleições do presidente Bolsonaro.

"Eu acho que ele sai menor, um presidente que não reconhece uma derrota, foi uma disputa de dois candidatos onde houve evidente desproporção no uso do abuso de poder político praticado pelo presidente. Ele tinha a máquina, tinha o orçamento, fez várias ações proibidas e mesmo assim, o presidente Lula venceu, e ele sai menor desse processo porque ele não reconhece a derrota, mas acho que esse movimento é muito pequeno, a gente percebe que é uma minoria, as instituições estão trabalhando para restabelecer a ordem, e vários países já reconheceram a vitória do presidente Lula. O Exército tem se mostrado forte à constituição, e esses movimentos são de alguns radicais que não representam a maioria da população, mesmo quem votou no Bolsonaro quer a constitucionalidade, o respeito às leis, tivemos uma eleição e venceu aquele com o maior número de votos. Agora é a hora de tocar a vida para frente, respeitando o resultado e governando para todos", disse.

Sobre a Segurança Pública, Chico Lucas disse que esse é um grande desafio da nova gestão e disse que o governador eleito Rafael Fonteles vai, com as demais instituições, erradicar as facções criminosas do estado do Piauí.

"Realmente, a segurança pública é um problema universal, todo mundo está sujeito à segurança ou à falta de segurança, tanto aquele que tem pouco poder aquisitivo como aquele que tem muito, então, quando nós lutamos para eleger o governador Rafael, a gente acreditou que ele resolveria todos os problemas, então, a partir do momento que ele foi eleito, ele que é o coordenador geral do nosso estado, no sentido de governo, ele me convidou para resolver o maior problema. Então eu não poderia me furtar desse desafio, sei que não sou um especialista em segurança pública, mas eu tenho principalmente a preocupação de transformar o Piauí em um lugar melhor para todos nós, e o que a gente percebe é que nós temos bons quadros, temos muitos policiais, policiais militares, civis, peritos, delegados, um grande número de profissionais, o que a gente vai tentar, é organizar esse time, para prestar o melhor serviço possível, com mais tecnologia, com maior efetivo e principalmente, sendo uma gestão firme, enfática, com o compromisso de criar as nove delegacias de polícia de combate às facções. Nós vamos liderar esse processo pessoalmente, ele sendo governador e eu sendo esse braço na Secretaria de Segurança.

Sobre as facções criminosas, Chico Lucas desse que nos seis primeiros meses, essa será a principal pauta dentro da Secretaria de Segurança.

"Nos seis primeiros meses a pauta será a erradicação das facções. Rafael me colocou na Secretaria de Segurança, porque ele se comprometeu com a sociedade de que iria resolver esse problema. Então nós vamos aplicar todas as nossas forças para resolver essa questão na Segurança Pública, principalmente, dando uma gestão para a pasta, unindo as forças militar e civil, conversando com as demais instituições, Ministério Público, Tribunal de Justiça e vamos lançar o Pacto pela Vida, isso que é importante, temos que erradicar aqui no Piauí a violência, principalmente essa violência organizada e nesse sentido, nós vamos ser firmes, levando o braço do estado na repressão aos criminosos, mas também levando serviços públicos de qualidade à população, principalmente, equipamentos públicos de segurança, e de cultura, lazer, esporte e educação. 

O futuro Secretário de segurança também falou como vai ser o processo de transição e sobre a escolha do novo Delegado Geral.

"Vamos sentar hoje com o coronel Rubens, atual Secretário de Segurança, vamos conversar com toda a cúpula da secretaria, vamos avaliar o que nós temos, sei que são homens sérios e comprometidos, vamos ver porque que a segurança hoje tem esse problema, um problema crônico do Brasil, não só no Piauí, a segurança vai ser um vetor para as demais áreas, e pode ficar certo, que aquele que cometer ilícitos, vai ter uma resposta forte do estado. Rafael está procurando colocar em seu quadro, gestores, seja na Saúde, Educação, ou Segurança, ele me deu autonomia para buscar os melhores nomes, que serão indicados por todo o time, vai ser uma indicação conversada", finalizou.



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Jogos de pôquer Mapa do site

1234