Jogos de pôquer

SEÇÕES

Pacheco promete pautar PEC do mandato fixo para ministros do STF em 2024

O senador também informou que pretende colocar em votação a proposta de fim da reeleição, com mandatos de 5 anos para presidente, governador e prefeito

Senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG) | Jefferson Rudy/Agência Senado
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

Na manhã desta terça-feira (28), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), informou que planeja colocar em votação a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabelece mandato fixo para ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) durante o primeiro semestre de 2024. Pacheco afirmou que há magistrados que apoiam a iniciativa. Caso a PEC seja aprovada, será a segunda medida, em um curto intervalo, que restringe as atribuições do STF, já que na semana passada, o Senado aprovou uma PEC que limita decisões individuais de magistrados, modificando as regras de funcionamento dos tribunais.

Para Pacheco, a PEC do mandato fixo é uma questão importante, e ele a prometeu durante sua campanha pela reeleição à presidência do Senado. Com o intuito de evitar que a votação pareça casuística, o presidente do Senado afirmou que adiou a discussão para o próximo ano, visto que a regra não seria aplicada a nenhum ministro atual e não seria pautada durante as discussões sobre a indicação do próximo ministro do STF.

É relevante destacar que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) anunciou na segunda-feira (27) a indicação do ministro da Justiça, Flávio Dino, para ocupar uma vaga na Suprema Corte. A indicação aguarda aprovação do Senado, e a sabatina está programada para 13 de dezembro.

Além da PEC do mandato fixo, Pacheco também informou que pretende colocar em votação, em 2024, a proposta de fim da reeleição, com mandatos de 5 anos para presidente, governador e prefeito. Ele afirmou ao blog: "Vou pautar e vai passar".

Quanto às indicações feitas pelo presidente Lula, Pacheco expressou o desejo de encerrar o ano com todas elas aprovadas. Isso inclui Flávio Dino para o STF, Paulo Gustavo Gonet Branco para liderar a Procuradoria-Geral da República (PGR), diretores do Banco Central (BC), membros do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e embaixadores.

O líder do Senado reconheceu que a aprovação não será fácil e que será necessário um trabalho intenso para conseguir o apoio no Senado Federal. Pacheco ressaltou a trajetória jurídica e a condição política de Flávio Dino, ao mesmo tempo em que mencionou a oposição em curso contra alguns indicados, comparando-a à campanha contra sua própria eleição à presidência do Senado. Mesmo assim, ele afirmou que se empenhará para aprovar a indicação de Dino.

Para mais informações, acesse fcvizela.com

Leia Mais


Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Jogos de pôquer Mapa do site