Jogos de pôquer

SEÇÕES

Imagens de agressão a Moraes no aeroporto de Roma estão paradas na Itália

As imagens da confusão captadas pelo circuito interno de TV do aeroporto ainda não foram enviadas ao Brasil e sua liberação está em compasso de espera.

Acusados abordaram o ministro no Aeroporto de Roma | Reprodução
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

A situação envolvendo o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes e o casal que o teria agredido no aeroporto de Romaestá gerando polêmica e impasse entre as autoridades brasileiras e italianas. As imagens da confusão captadas pelo circuito interno de TV do aeroporto ainda não foram enviadas ao Brasil e sua liberação está em compasso de espera.

A Polícia Federal brasileira solicitou o material à polícia italiana em 18 de julho, por meio do acordo de cooperação internacional entre os dois países. Contudo, a liberação das imagens está demorando além do esperado, pois a autoridade central italiana responsável pelo caso exigiu uma autorização judicial antes de compartilhar as cenas.

Os agentes da PF acreditavam que o procedimento entre as polícias seria ágil, mas a grande repercussão do incidente pode ter influenciado a decisão italiana de submeter o pedido à Justiça. Sem acesso às imagens, a PF não consegue determinar a versão verídica dos acontecimentos nem concluir a investigação sobre as agressões contra Moraes e sua família.

De acordo com o relato do ministro à PF, a confusão teve início quando a brasileira Andreia Munarão se aproximou dele na sala VIP e o ofendeu com palavras pejorativas. Em seguida, o marido de Andreia, Roberto Mantovani, teria se envolvido na discussão e agredido o filho do ministro, Alexandre, causando tumulto. O genro do casal, Alex Zanatta, também teria participado do conflito.

Porém,o casal e o genro negam ter agredido o ministro ou seus familiares. Segundo eles, foram eles que sofreram a agressão. Andreia afirmou que apenas reclamou sobre privilégios de Moraes na sala VIP, mas ele não estava presente no momento da queixa.

Enquanto o impasse persiste, o advogado do casal entregou à PF um vídeo que supostamente mostraria parte da confusão, com Moraes chamando o rapaz de bandido. Contudo, os investigadores perceberam que o vídeo havia sido editado e solicitaram o celular que fez a gravação. O advogado afirmou que entregaria o aparelho apenas após ter acesso ao inquérito, o que ainda não aconteceu.

Diante desse cenário, a conclusão das investigações fica em suspenso, aguardando a decisão judicial italiana e a disponibilização das imagens cruciais para a elucidação dos fatos ocorridos no aeroporto de Roma.

LEIA MAIS NO fcvizela.com

Leia Mais


Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Jogos de pôquer Mapa do site