Jogos de pôquer

SEÇÕES

Governadores do Nordeste lançam nota em apoio a Lula

Ex-presidente foi denunciado pelo MPF na última terça-feira

FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

Um dia após o Ministério Público Federal denunciar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Justiça Federal na Operação Zelotes, os governadores do Nordeste lançaram uma carta em apoio ao ex-presidente, que foi acusado de corrupção passiva. 

Os procuradores dizem que Lula e o ex-ministro Gilberto Carvalho pediram R$ 6 milhões em propinas para viabilizar a elaboração e a edição da Medida Provisória 471/09, que prorrogou por cinco anos benefícios tributários às empresas do setor automobilístico.

De acordo com a nota divulgada pelos governadores, a medida do ex-presidente fez parte de uma estratégia econômica para que o Brasil não fosse afetado pela crise econômica que assolava os Estados Unidos desde 2008. Os governadores afirmam que a medida provisória possibilitou a abertura de novos postos de trabalho nos estados do Nordeste e fomentou o setor industrial da região e do país. 

Os governadores ainda afirmam que é inaceitável o ex-presidente ser denunciado pela edição da MP, tendo em vista que matéria foi aprovada por unanimidade pelo Congresso Nacional. 

Confira a nota dos governadores do Nordeste na íntegra:

MP 471/ 2009 FOI BENÉFICA PARA O BRASIL E PARA O NORDESTE

     Na Década de 90 foram concedidos benefícios fiscais visando a regionalização da indústria automotiva brasileira. E venceria em 31 de dezembro de 2010.

     O Brasil viveu um período de crescimento econômico e saldo anual de milhões de empregos e tinha um grande desafio: a crise mundial que estourou em 2008. E o presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva adotou diversas providências e profetizou que a crise econômica no Brasil seria uma "marolinha" e foi. O país seguiu crescendo sua economia e gerando saldo positivo de mais empregos.

     Dentre as medidas adotadas estava a Edição da MP 471/2009, prorrogando até 2015 os incentivos fiscais, notadamente IPI, PIS e COFINS, para o setor industrial e foi uma reivindicação dos líderes empresariais, dos trabalhadores e líderes políticos, especialmente da região Norte, Nordeste e Centro Oeste. E permitiu ampliar as indústrias no Brasil, ampliar empregos, e Estados como Bahia, Goiás, Pernambuco e Ceará, os empregos formais no setor industrial, que era 0,26% em relação ao total nacional em 1999 e chegou a 13,07% em 2009.

     Esta Medida Provisória foi aprovada com total apoio da base do governo e da oposição e sem nenhuma alteração, e em discursos líderes da oposição ressaltaram a importância desta política no governo do Presidente Fernando Henrique e elogiaram a posição do então Presidente Lula de renovar a política por mais cinco anos após o vencimento, como estabeleceu o artigo primeiro da MP 471.

     Assim testemunhamos o importante interesse social, interesse público e efeitos positivos desta posição adotada pelo governo brasileiro e Congresso Nacional. Especialmente para nossa Região, o Nordeste Brasileiro. Mas com efeito positivo para todo o Brasil.

Portanto é inaceitável a ação judicial querendo incriminar o então Presidente da República pela iniciativa da edição da MP, e aprovada por unanimidade praticamente do Congresso Nacional.

     Pelo contrário precisava o Brasil naquele momento de forma Republicana de medidas como esta, assim como cobramos hoje medidas para acelerar o crescimento econômico e geração de emprego e renda.

     O que o Brasil não consegue entender é essa tentativa de criminalização da política de descentralização do desenvolvimento de uma indústria tão importante para o País como é a automobilística bem como das prerrogativas da Presidência da Republica em editar Medidas Provisórias e do Congresso Nacional, analisar e aprovar matérias de relevante interesse.    

 FÓRUM DOS GOVERNADORES DO NORDESTE DO BRASIL



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Jogos de pôquer Mapa do site