Jogos de pôquer

SEÇÕES

Exclusivo Exército poderá ganhar poder de administrar obras sem licitação em rodovias

Segundo o projeto de lei do deputado Nicoletti, o Exército poderá atuar nessas áreas e ter a capacidade de captar, gerir e aplicar os recursos financeiros.

Exército poderá ganhar poder de administrar obras sem licitação | ANTÔNIO CRUZ/AGÊNCIA BRASIL
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

O deputado federal Nicoletti apresentou nesta segunda-feira, 17 de julho, um projeto de lei complementar com o objetivo de alterar a Lei Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999. A proposta visa atribuir ao Exército Brasileiro a responsabilidade pela administração, operação, reforma, ampliação e manutenção de rodovias e estradas federais, sem a necessidade de licitação pública.

Segundo o projeto, o Exército poderá atuar nessas áreas e ter a capacidade de captar, gerir e aplicar os recursos financeiros necessários à prestação do serviço através da cobrança de tarifa, do uso de recursos do Orçamento Fiscal da União ou de uma combinação de ambos.

Leia Mais

A justificativa do projeto ressalta a importância das rodovias e estradas federais para interligar o território nacional, contribuindo não apenas para a circulação de bens e pessoas, mas também para a manutenção da unidade nacional. Com mais de 75 mil quilômetros de rodovias e estradas federais no país, sendo que mais de 10 mil quilômetros não possuem pavimentação, a manutenção e a gestão dessa malha representam um desafio para o Governo Federal.

Nicoletti sinaliza que embora exista um programa de concessão de rodovias e estradas federais, há trechos em que a viabilidade econômica é limitada devido ao volume de veículos, localização e necessidade de grandes investimentos. Nesse sentido, o projeto propõe uma parceria em que o Exército Brasileiro, com sua experiência e qualificação, possa assumir a gestão desses trechos, cobrando tarifas dos usuários e tendo acesso a recursos da União para realizar as intervenções necessárias.

Esse modelo de parceria, na visão do parlamentar, permitiria um aumento de investimentos e a recuperação das rodovias e estradas federais em regiões com infraestrutura precária e carentes de investimentos, como as regiões Norte e Nordeste do país. Além disso, ele defende que a repartição dos custos entre os usuários e a União, por meio de tarifas e recursos orçamentários, possibilitaria a estabelecimento de tarifas acessíveis aos cidadãos sem sobrecarregar excessivamente oorçamento fiscal da União, permitindo também a expansão da malha atendida.



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Jogos de pôquer Mapa do site