Jogos de pôquer

SEÇÕES

Eduardo Bolsonaro e Chico Buarque decidem manter briga e acordo naufraga

O processo foi instaurado devido ao uso indevido da música “Roda Viva” em uma postagem feita pelo parlamentar no ano passado.

Chico Buarque e Eduardo Bolsonaro não chegam a acordo após audiência; entenda | Reprodução
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

A audiência de conciliação do processo movido pelo músico e escritor Chico Buarque de Holanda contra o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) encerrou-se sem acordo. O processo foi instaurado devido ao uso indevido da música "Roda Viva" em uma postagem feita pelo parlamentar no ano passado. Como resultado de uma ordem judicial, a publicação feita por Eduardo Bolsonaro foi retirada do ar. 

A audiência de conciliação ocorreu de forma virtual na quinta-feira, dia 3, no 6º Juizado Especial Cível da Comarca da Lagoa, sob a presidência da juíza Keyla Blank de Cnop, onde a ação movida pelo músico e escritor Chico Buarque contra o deputado federal Eduardo Bolsonaro tramita.

Como as partes não chegaram a um acordo durante a audiência, uma próxima sessão foi agendada para o dia 23 de agosto. Chico Buarque está indignado com o uso indevido de sua música e busca uma reparação por danos morais no valor de R$ 48 mil.

Em 5 de novembro do ano passado, Eduardo Bolsonaro utilizou a música "Roda Viva", que é um clássico da MPB, para fazer uma postagem nas redes sociais, onde alegou que o Brasil estava "sob censura". O deputado federal e filho do presidente da República expressou sua preocupação em relação à liberdade de expressão e imprensa no país, fazendo referência à censura, comum em regimes ditatoriais.

Um post com fotos de expoentes da extrema direita no país, como os jornalistas Augusto Nunes e Guilherme Fiuza, o empresário Luciano Hang, a deputada federal Carla Zambelli, o deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG) e Eduardo Bolsonaro, pôs "Roda Viva" na trilha musical de sua denúncia contra a "censura" do ministro do Supremo Tribunal Federal, o STF, Alexandre de Moraes, à frente do inquérito das fake news. O nome de Moraes não foi citado. 



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Jogos de pôquer Mapa do site