Jogos de pôquer

SEÇÕES

CMN muda formato, e meta de inflação passa a ser ‘contínua’ em 2025

A decisão de alterar o regime de metas de inflação foi anunciada pelo presidente do Conselho Monetário Nacional (CMN), o ministro da Fazenda Fernando Haddad.

CMN muda formato, e meta de inflação passa a ser ‘contínua’ a partir de 2025 | Reprodução
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

O Conselho Monetário Nacional (CMN) decidiu nesta quinta-feira (29) alterar o regime de metas de inflação. A partir de 2025, a meta será contínua, não mais levando em consideração o ano-calendário atual, de janeiro a dezembro. Isso significa que a meta será definida para um “horizonte relevante”, sem calendário fixado. 

A decisão de alterar o regime de metas de inflação foi anunciada pelo presidente do Conselho Monetário Nacional (CMN), o ministro da Fazenda Fernando Haddad, durante uma coletiva de imprensa.

Haddad explicou que a mudança no regime em relação ao ano-calendário é uma prerrogativa do presidente e já havia discutido essa possibilidade com a sociedade. Ele manifestou sua simpatia por uma mudança nesse padrão que atualmente é adotado por apenas dois países, incluindo o Brasil. A partir de 2025, o Brasil adotará uma meta de inflação contínua, mantendo-a de acordo com os indicadores econômicos.

Com reuniões mensais, o CMN é composto pela ministra Simone Tebet (Planejamento) e pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Haddad vinha defendendo a mudança no sistema de metas e afirmou, em uma entrevista na quarta-feira (28), que levaria a discussão à reunião do CMN.

"[Vamos discutir] se é o caso ou não de tomar essa decisão sobre padronizar em relação ao resto do mundo o programa de metas de inflação do Brasil, que é sui generis, só no Brasil e mais outro país, acho que Turquia, que usa meta calendário", afirmou.

Mais cedo, nesta quinta-feira, Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, mencionou que um estudo realizado pela instituição mostrou que a adoção da meta contínua seria "mais eficiente".

"Em alguns momentos da história, o governo ficou preocupado em estourar a meta em um ano específico e acabou tomando medidas no final do ano que fizesse com que aquela inflação caísse de forma pontual e que gerou uma alocação de recursos que não era a mais eficiente do ponto de vista econômico. E grande parte dos países não tem meta de ano-calendário."



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Jogos de pôquer Mapa do site