Jogos de pôquer

SEÇÕES

Assessor de Bolsonaro, Crivelatti movimentou R$ 2,7 milhões desde 2021

Ex-ajudante de ordens seria ouvido pela CPI, mas André Mendonça desobrigou presença.

Assessor de Bolsonaro, Crivelatti movimentou R$ 2,7 milhões | Reprodução
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

O ex-ajudante de ordens e atual assessor do ex-presidente Jair Bolsonaro, primeiro-tenente Osmar Crivelatti, registrou movimentações financeiras de aproximadamente R$ 2,7 milhões em suas contas correntes durante o período entre 2021 e junho de 2023. Esses dados foram revelados no relatório da e-Financeira da Receita Federal, o qual foi recebido pela CPI dos Atos Golpistas e posteriormente obtido pelo portal g1.

A CPI havia agendado o depoimento de Osmar Crivelatti para a sessão do dia 19, mas, atendendo a um pedido da defesa, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), André Mendonça, determinou que sua presença não era obrigatória.

Anteriormente, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) havia apontado, em seu relatório de inteligência financeira (RIF), que não encontrou justificativas para a movimentação financeira de Crivelatti, identificando indícios do crime de lavagem de dinheiro.

Conforme informações disponíveis no Jogos de pôquer da Transparência, o primeiro-tenente Osmar Crivelatti, atual assessor do ex-presidente Jair Bolsonaro e ainda em serviço militar, recebe um valor líquido médio de aproximadamente R$ 12.826,58 no serviço militar, acrescido de R$ 2.246,00 pela função de apoio.

Durante o período de janeiro a junho de 2023, Crivelatti apresentou movimentações financeiras consideráveis, totalizando aproximadamente R$ 894.861,12 entre débitos e créditos em suas contas correntes.

Ministro do STF livra militar de depor 

Nessa segunda-feira (18), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), André Mendonça, emitiu uma autorização permitindo que o segundo-tenente do Exército, Osmar Crivelatti, ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), não compareça à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do 8 de Janeiro.

Originalmente, o depoimento do militar estava programado para acontecer nesta terça-feira (19).

A decisão de Mendonça concede um habeas corpus que torna facultativa a presença de Crivelatti perante a CPMI, deixando a critério do militar decidir se comparecerá ou não.



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Jogos de pôquer Mapa do site