Jogos de pôquer

SEÇÕES

Após 8/1, STF gasta R$ 233 mil com armas de fogo para proteger ministros

A Corte pretende adquirir seis carabinas semiautomáticas, capacetes, escudos, bastões e máscaras de gás

Ministros do STF | Rosinei Coutinho
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

OSupremo Tribunal Federal (STF) está planejando reforçar suas medidas de segurança por meio de duas licitações distintas. Na primeira, a Corte pretende adquirir seis carabinas semiautomáticas calibre 9x19mm. Já na segunda licitação, o foco está na aquisição de itens essenciais de proteção, como capacetes, escudos, bastões e máscaras de gás.

O investimento total projetado para ambas as licitações é de R$ 233 mil, com R$ 98,8 mil reservados para a compra das carabinas e R$ 134,7 mil destinados aos equipamentos de proteção. Vale destacar que esta não é a primeira incursão do STF em armamentos em 2023. Conforme reportado anteriormente, em março, a Corte adquiriu 12 espingardas calibre 12.

No entanto, naquela ocasião, a compra foi realizada sem licitação, conforme consta em um extrato de inexigibilidade de licitação publicado no Diário Oficial da União (DOU), com o valor total de R$ 74,1 mil, aproximadamente R$ 7,4 mil por unidade da arma.

Julgamento de mais cinco réus pelo 8 de janeiro

Além disso, na sexta-feira (17), a Suprema Corte deu início ao julgamento de mais cinco réus acusados pela Procuradoria-Geral da República (PGR) de executarem os atos golpistas ocorridos em 8 de janeiro, quando as sedes dos Três Poderes foram invadidas e depredadas.

O relator do caso, ministro Alexandre de Moraes, propôs que os cinco réus sejam condenados a penas de 17 anos de prisão, em regime inicial fechado. O julgamento está ocorrendo no plenário virtual, no qual os ministros inserem seus votos no sistema eletrônico. Os votos podem ser apresentados até o dia 24 de novembro, sendo cada réu julgado de forma individual.

Até o momento, o STF já condenou 25 réus, estabelecendo penas que variam de 3 a 17 anos de prisão. Outros réus, acusados por crimes menos graves, estão negociando acordos com a Justiça e devem cumprir penas alternativas.

Para mais informações, acesse fcvizela.com

Leia Mais


Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Jogos de pôquer Mapa do site