Jogos de pôquer

SEÇÕES

Além de Bolsonaro, Valdemar também vira alvo de busca e apreensão da PF

No total, estão sendo cumpridos 33 mandados de busca e apreensão, quatro mandados de prisão preventiva e 48 medidas cautelares diversas da prisão

Valdemar Costa Neto e Jair Bolsonaro | Reprodução
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

Em uma decisão surpreendente, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) entregue seu passaporte em um prazo de 24 horas, como parte da Operação Tempus Veritatis. A ação investiga uma alegada "organização criminosa que atuou na tentativa de golpe de Estado e abolição do Estado Democrático de Direito, para obter vantagem de natureza política com a manutenção do então presidente da República no poder".

Nesta quinta-feira (08), a operação resultou na prisão de dois ex-assessores especiais de Bolsonaro, Marcelo Câmara e Filipe Martins, além de outros militares. A ação da Polícia Federal (PF) também visa figuras proeminentes como Braga Netto, Augusto Heleno, Valdemar Costa Neto e outros aliados do ex-presidente.

No total, estão sendo cumpridos 33 mandados de busca e apreensão, quatro mandados de prisão preventiva e 48 medidas cautelares diversas da prisão. Estas incluem a proibição de manter contato com os demais investigados, a proibição de se ausentarem do país, com entrega dos passaportes no prazo de 24 horas, e a suspensão do exercício de funções públicas.

A operação está sendo conduzida em diversos estados do Brasil, incluindo Amazonas, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Ceará, Espírito Santo, Paraná, Goiás e no Distrito Federal.

Segundo a Polícia Federal (PF), a Operação Tempus Veritatis é resultado da delação de Mauro Cid e de investigações anteriores. Além dos ex-assessores de Bolsonaro, a ação também teve como alvo dois militares da ativa. O Exército está acompanhando alguns dos mandados em apoio à PF.

A operação envolve 16 militares, incluindo membros das Forças Especiais do Exército, conhecidos como "kids pretos", uma unidade existente desde 1957, segundo informações fornecidas pelo próprio Exército. A complexidade e amplitude da operação indicam um novo capítulo nas investigações envolvendo o ex-presidente e seus associados, colocando o cenário político brasileiro em um momento de grande tensão.

Para mais informações, acesse fcvizela.com

Leia Mais


Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Jogos de pôquer Mapa do site