Jogos de pôquer

SEÇÕES

Piauí é 3º em lista suja de empregadores do trabalho escravo no país

Documento é atualizado duas vezes ao ano e ganhou 132 novos nomes, um recorde histórico

Piauí é 3º em lista suja de empregadores do trabalho escravo no país | Ascom
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

OMinistério do Trabalho e Emprego (MTE) atualizou nesta quarta-feira (5) a Lista Suja do Trabalho Escravo, que contém os nomes de 289 empregadores que submeteram pessoas a condições análogas à escravidão.

A atualização incluiu 132 novos nomes, representando a maior atualização desde 2017, quando a lista voltou a ser publicada. A divulgação da lista é realizada em abril e outubro de cada ano e, até a atualização mais recente, a relação continha 174 nomes

Osnovos nomes foram incluídos devido a decisões definitivas de casos de trabalho escravo identificados pela Inspeção do Trabalho entre 2018 e 2022.

Segundo o MTE, os dados por estado colocam o Piauí na terceira posição da lista suja de empregadores, atrás apenas de Minas Gerais, na primeira posição e de Goiás, em segundo. Veja abaixo o ranking.

  • Minas Gerais (35)
  • Goiás (15)
  • Piauí (13)
  • Pará (11)
  • Paraná (8)
  • Maranhão (8)
  • Bahia (7)
  • Santa Catarina (7)
  • Rio Grande do Sul (6)
  • Mato Grosso do Sul (6)
  • Mato Grosso (5)
  • São Paulo (2)
  • Distrito Federal (2)
  • Pernambuco (2)
  • Ceará (1)
  • Rio Grande do Norte (1)
  • Rondônia (1)
  • Roraima (1)
  • Tocantins (1)

"Estar na lista suja significa que o empregador submeteu trabalhadores à condição análoga à de escravo e o governo brasileiro reconheceu isso por meio da inspeção do trabalho", explica o chefe da Divisão de Fiscalização para a Erradicação do Trabalho Escravo (Detrae) Maurício Krepsky.



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Jogos de pôquer Mapa do site