Jogos de pôquer

SEÇÕES

Conta de luz deixa de ter cobrança extra neste sábado; saiba mais

Desde setembro de 2021, vigorava a bandeira tarifária da escassez hídrica, a mais cara do sistema. Agora, passa a valer bandeira verde, mais barata.

bandeira | reprodução
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

A conta de luz deixará de ter cobrança extra neste sábado (16) com o fim da bandeira tarifária da escassez hídrica, a mais cara do sistema.

A tarifa incide nas contas de luz desde setembro de 2021 e foi criada pelo Ministério de Minas e Energia (MME) na tentativa de cobrir custos adicionais gerados pela falta de chuvas na ocasião, que reduziu o nível dos reservatórios.

Bandeira tarifária (Foto: reprodução)

Veja perguntas e respostas sobre o sistema de bandeiras tarifárias

Leia Mais

A partir de agora, passa a valer a bandeira tarifária verde, que é a mais barata do sistema, e que não terá nenhuma cobrança adicional. Entenda abaixo o que muda no bolso do consumidor.

Conta de luz vai ficar mais barata?

O governo prevê uma redução de 20% na conta de luz do consumidor residencial, porém especialistas consultados pelo g1 afirmam que as principais distribuidoras devem passar por reajustes tarifários nos próximos meses e que, dessa forma, o benefício obtido com a mudança da bandeira tarifária deve ser diluído ao longo do ano.

A consultoria PSR, por exemplo, estimou, no início do abril, um reajuste tarifário de 15% e prevê uma queda na conta de luz de 6,5%.

Já um exercício realizado pela TR Soluções mostra que, com a mudança da bandeira, a conta deve ter uma redução média imediata de 12,5% – mas, até o final do ano, vai ficar 6,09% mais cara.

As projeções para o impacto na conta de energia destoam porque o cenário para a bandeira tarifária varia entre as empresas. A PSR prevê bandeira verde até o fim do ano; a TR Soluções avalia que a bandeira amarela deve vigorar por alguns meses no segundo semestre.

Os reajustes tarifários são definidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e serão influenciados por uma inflação elevada - hoje em dois dígitos.

Os reajustes têm datas distintas para as várias distribuidoras que operam no Brasil. Na cidade de São Paulo, a decisão para a Enel está marcada para julho. Em Minas Gerais, a expectativa é a de que a tarifa da Cemig seja reajustada em maio.

Governo propôs reajustes de tarifas

Na última terça-feira (12), a Aneel abriu uma consulta pública para reajustar os valores das bandeiras tarifárias — cobrança extra aplicada às contas de luz quando aumenta o custo de produção de energia no país. O reajuste é um procedimento anual.

Pela proposta da agência, os valores das bandeiras amarela e vermelha patamar 1 vão aumentar 56% e 57%, respectivamente. Já a bandeira vermelha patamar 2, a mais cara, terá redução de 1,7%.

A consulta pública ficará aberta de 14 de abril a 4 de maio. Após esse período, a agência voltará a analisar o assunto. Apesar dos reajustes propostos, a diretoria da Aneel informou que a tendência é que a conta de luz dos consumidores fique sem essa cobrança extra até o fim deste ano, devido à recuperação dos reservatórios das hidrelétricas.



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Jogos de pôquer Mapa do site