Jogos de pôquer

SEÇÕES

Brasil é líder mundial em mortes no trânsito, por José Osmando

Embora a Rússia seja a campeã mundial como pior do mundo, o Brasil segue em segundo, mas supera a própria Rússia em duas questões fundamentais.

Brasil é um dos países com maior número de mortes no trânsito | Divulgação
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

Um relatório fundamentado em dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e o Compare The Market, indica que o Brasil é o 2º pior país do mundo para dirigir veículos automotivos,superado apenas pela Rússia, país apontado como o líder negativo nessa condição. Os estudos para construção desse ranking levaram em conta quatro fatores: o custo de manutenção do carro em relação à renda, o nível de congestionamento, o índice de qualidade das estradas e vias de tráfego e o índice de mortalidade no trânsito

As revelações do estudo são desalentadoras. Embora a Rússia seja a campeã mundial como pior do mundo, o Brasil segue em segundo, mas supera a própria Rússia em duas questões fundamentais e seriamente preocupantes: no custo de manutenção dos veículos relativamente à renda, com 26%, contra 18% da Rússia, e no altíssimo nível de mortalidade no trânsito, com 16 mortos para cada grupo de 100 mil pessoas, contra 12 da Rússia. Quanto ao índice congestionamento no trânsito, o Brasil segue em segundo lugar, com 28%, contra 37% da Rússia. 

Relativamente ao nível de conservação das estradas, os dois países praticamente se equivalem, com a Rússia pontuando 2,9 e o Brasil 3,1. No ranking geral, México, África do Sul e Irlanda fazem companhia a Rússia e Brasil. 

O outro lado

ADinamarca é o melhor país para dirigir do mundo. Possui um dos menores índices de mortalidade no trânsito, apenas 3,7 a cada 100.000 pessoas. Além de possuir estradas de alta qualidade (5,5) e baixo nível de congestionamento (18%). Os Estados Unidos, por sua vez,  ficam em segundo lugar no ranking dos melhores, principalmente pelo baixo nível de congestionamento (14%) e pelo baixo custo de manutenção (o menor dentre todos os países). Holanda, Portugal e França, finalizam o ranking dos 5 melhores países, respectivamente. 

Embora cause constrangimento e preocupação, esse quadro que envergonha o Brasil em mais uma condição essencial à vida das pessoas, à movimentação de riquezas, ao transporte de mercadorias e  ao desenvolvimento turismo e ao lazer dos cidadãos, não é novidade alguma e nem está escondido das nossas vistas. É só andar um pouquinho mais para nos defrontarmos com as péssimas condições de rodovias país afora, ou termos a coragem de enfrentar o trânsito em qualquer cidade de grande, pequeno ou médio porte, para constatarmos o quanto isso é verdadeiro.  

Descaso nacional

Retrato desse descaso nacional é revelado pelo orçamento fixado e aprovado depois da PEC da Transição do governo Lula, que ficou em cerca de R$ 20 bilhões apenas para a questão rodoviária nacional. Nos últimos anos recentes, não passaram de R$ 6 bilhões. Quando o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura) foi criado, há 20 anos, tinha orçamento perto de R$ 6 bilhões. Chegou a ter R$ 25 bilhões no auge da capacidade entre o governo Lula e o início do governo Dilma. Do governo Temer para cá, depois da imposição do teto, oscilou entre R$ 5 bilhões e R$ 6 bilhões, o que é exatamente o mesmo orçamento em termos nominais da época da criação do DNIT, duas décadas atrás. 

Com uma política pública como essa estabelecida de 6 anos para cá, desde o governo Temer, é impossível termos rodovias conservadas, veículos sem danos graves, ausência de prejuízos materiais para o transporte de cargas e a inexistência de muitos acidentes e crescentes mortes no trânsito das cidades ou das estradas. 

Vítimas do trânsito

De acordo com dados do Ministério da Saúde, apenas no ano de 2021, o Brasil registrou 31.468 mortes no trânsito, sendo os motociclistas os que mais perderam a vida, com 12.011 óbitos, seguidos pelos ocupantes de automóveis, com 6.987 vítimas fatais, e pedestres, com 5.120 mortes. Esses números assustadores superam, em muito, por exemplo, o número de ucranianos mortos até agora na guerra com a Rússia, cujas estimativas giram em torno de 9 mil mortos e 7 mil desaparecidos. 

Solução necessária

As causas para essa nossa tragédia são várias. Vão desde  a baixa educação da população brasileira em relação ao trânsito, insistindo em não respeitar as leis vigentes ao avançar os sinais, dirigir embriagado, com excesso de velocidade e utilizar o celular, entre outras infrações, mas decorrem de forma gigantesca do mau estado de conservação e sinalização, no péssimo estado do  asfalto das ruas e estradas. 

Essas são comprovações irrefutáveis, que só serão sanadas ou diminuídas com a responsabilidade de governantes em manter investimentos à altura das necessidades, se necessário buscando parcerias com o setor privado, para permitir que as nossas estradas possam de fato servir adequadamente às demandas das pessoas, ao invés de continuar criando aborrecimento e tirando vidas importantes.

Fonte:  https://www.cupomvalido.com.br/ 



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Jogos de pôquer Mapa do site