Jogos de pôquer

SEÇÕES

Após apagão em São Paulo, presidente da Enel pede demissão

Presidente pediu demissão nesta quinta-feira e Enel já tem novo executivo nomeado

Executivo pediu demissão | Divulgação
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

No cargo de presidente da Empresa Nacional de Energia Elétrica (Enel Brasil), desde o ano de 2018,o executivo Nicola Cotugno pediu demissão da companhia nesta quinta-feira, 23. O pedido foi feito após a crise de abastecimento de energia elétrica na cidade de São Paulo provocada pelas chuvas no último dia 3 de novembro.

O pedido de demissão ocorre 21 dias após o apagão que deixou mais de 2,1 milhões de pessoas sem energia na maior capital do país. A crise da falta de energia provocou a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp).  

Cotugno comandava a concessionária desde outubro de 2018, quando a empresa de origem italiana adquiriu a Eletropaulo. Desde esse período, a Enel enxugou o quadro de funcionários com uma redução de 36%.

As chuvas fortes deixaram milhões de pessoas sem luz em São Paulo. Em muitos lugares, a energia demorou mais de uma semana para ser restabelecida, o que gerou desgaste da empresa e revolta na população, que sofreu imensos prejuízos com a falta de energia.

A Enel já comunicou a nomeação do italiano Antonio Scala como novo presidente no Brasil. O novo comandante da empresa soma 18 anos de experiência. Em nota divulgada pela Enel, Cotugno tomou a decisão e vai se aposentar. A nota esclarece que a aposentadoria do executivo estava prevista antes do apagão. 

Na época do apagão, o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, chegou a pedir à agência reguladora o cancelamento do contrato com a Enel.



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Jogos de pôquer Mapa do site