Jogos de pôquer

SEÇÕES

Concurso nacional unificado terá ação contra fraudes na aplicação das provas

Serão realizadas duas provas, uma geral e uma específica. As provas serão aplicadas em 180 municípios, o que inclui todas as capitais

Concurso nacional unificado terá ação contra fraudes na aplicação das provas | Agência Brasil
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

O concurso nacional unificado com 6.590 vagas poderá contar com ação do Ministério da Justiça, das Polícias Federal e Rodoviária Federal, das secretarias estaduais de segurança e, até mesmo, das Forças Armadas naatuação contra fraudes no chamado Enem dos concursos públicos. A iniciativa está em debate na comissão que trata da seleção —a maior do tipo já realizada no país— e deve ser encaminhada aos setores de segurança para garantir que não haja vazamento das provas.

"Em se tratando de algo que tem bastante risco de fraude, a gente já está diálogo com a Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça", diz Cristina Mori, secretária-executiva do MGI (Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos) em entrevista exclusiva à Folha de S.Paulo.

Segundo ela, secretarias de segurança de estados, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal e, até mesmo, Ministério da Defesa podem ser acionados para atuar em regiões mais remotas e "a gente conseguir ter bastante segurança de que as provas não vazem", afirma. Para Cristina, a escolha da banca foi essencial para dar andamento ao concurso e garantir o cumprimento dos prazos pré-determinados.

"A banca é super-importante para a gente poder começar a discutir com ela o edital. Agora, a banca, junto com a comissão, vai estabelecer quais vão ser os critérios", afirma.

Outra preocupação é com as fake news. Para isso, duas ações serão feitas. A primeira delas foi criar o site do concurso, onde serão publicadas todas as informações sobre a seleção. A segunda será uma ação da Secretaria de Comunicação do Governo Lula no combate a informações falsas.

"Não vai ter informação por WhatsApp, tudo o que for referente ao concurso estará no site oficial", afirma.

O cronograma deve ser mantido. "A gente tem uma previsão de cronograma de prova, que depende de que todas as outras etapas aconteçam no prazo correto, que é aplicar prova é março do ano que vem, divulgar resultado até maio e, entre julho e agosto, dar os cursos, iniciando [as contratações finais] em agosto do ano que vem."

ESCOLHA DA BANCA

A licitação para a escolha da banca foi dispensada. O motivo é que, quando se opta apenas pelo menor valor em processos do tipo, pode-se não conseguir uma empresa tão especializada quanto o necessário. Segundo Cristina, foram recebidas inscrições de 12 empresas interessadas, cinco manifestaram interesse e quatro foram para a outra fase.

Das quatro, três apresentaram propostas: Cesgranrio, Cespe e FGV, que ficaram entre as finalistas por já terem experiência em processos do tipo. De acordo com a secretária-executiva, todas eram altamente qualificadas, mas no final venceu o menor preço. "Como está acostumada, [a Cesgranrio] foi escolhida pela vasta experiência que tem, mas as três tinham capacidade e aí a gente foi olhar o preço. Foi escolhido o preço mais sedutor."

COMO SERÁ O CONCURSO NACIONAL UNIFICADO

Embora a banca já tenha sido escolhida, detalhes como valor da inscrição e conteúdo ainda não estão definidos e sairão no edital. No entanto, Cristina afirma que quem já vem se preparando para concursos e estudando conteúdos ligados a serviço público aproveitará certamente o que aprendeu.

Serão realizadas duas provas, uma geral e uma específica. A de conhecimentos gerais ocorrerá pela manhã e a específica, à tarde. A ideia é que os candidatos possam escolher mais de uma carreira no serviço pública, mas elas não podem ser diferente entre si e talvez a opção poderá ser em bloco.

As provas serão aplicadas em 180 municípios, o que inclui todas as capitais. Cristina diz que é o concurso de maior capilaridade nacional para que ninguém deixe de concorrer ou ser contratado por falta de oportunidade logística. O concurso terá cotas de 5% para negros e indígenas, com exceção das vagas para a Funai (Fundação Nacional do Índio), que vai destinar 30% das vagas a indígenas.

CONFIRA O CALENDÁRIO DO CONCURSO NACIONAL UNIFICADO

Até 22 de novembro - contratação da banca

20 de dezembro - divulgação do edital

Fevereiro ou março de 2024 - aplicação das provas

Até maio de 2024 - resultado final da etapa unificada

Até julho de 2024 - curso de formação, quando houver

Até agosto de 2024 - posse dos aprovados

(Com informações da FolhaPress - Cristiane Gercina)



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Jogos de pôquer Mapa do site