Jogos de pôquer

SEÇÕES

José Osmando

Coluna do jornalista José Osmando - Brasil em Pauta

Recursos do Petróleo e do gás vão bancar os alunos pobres do Ensino Médio

Já está no Senado, encaminhada pelo Presidente Lula, a Medida Provisória (MP) 1.198/2023, que cria um Fundo Especial de R$ 20 bilhões para cobrir os custos de bolsa para combater a evasão escolar

FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

A notícia de que os estudantes pobres matriculados no ensino médio receberão uma bolsa que os estimule a permanecerem na escola, evitando a evasão que se registra em escala indesejável, impedindo que eles cheguem ao ensino superior, está bem próxima de se concretizar.

Já está no Senado, encaminhada pelo Presidente Lula, a Medida Provisória (MP) 1.198/2023, que cria um Fundo Especial de R$ 20 bilhões para cobrir os custos dessa bolsa, já publicada no Diário Oficial da União, com peso de lei em vigor, cabendo ao Congresso aprová-la até 120 dias após sua publicação.

O fundo instituído pela MP será administrado pela Caixa Econômica e os recursos- que ficarão fora do arcabouço fiscal, portanto, fora dos limites da responsabilidade fiscal-, advirão da União, através do fundo de receitas obtidos  da exploração de óleo e gás. A concepção do fundo e a modelagem da bolsa de auxílio e da poupança aos estudantes pobres inscritos no Cadastro Único, caberá ao Ministério da Educação e da Fazenda.

Tem-se, aí, uma medida inteligente em vários aspectos. O primeiro deles, é o de oferecer aos estudantes pobres, que largam o ensino médio ao completarem 16 anos de vida, em razão de necessidades financeiras, sejam estimulados a permanecer na escola e concluírem o nível de ensino que permita o ingresso na universidade; segundo aspecto, de larga visão política, é dar à educação o papel significante que ela desempenha na sociedade, constituindo-se no elemento primordial para que cada um alcance conhecimento, uma profissão qualificada e, com isso, a autonomia que cada um merece; outro aspecto importante, o de mostrar que cabe ao Estado esse papel fundamental de serviço à população, permitindo que a Constituição Federal seja cumprida no seu dever de oferecer a todos ensino público de qualidade; finalmente, encontrar soluções financeiras que garantam ao poder central manter-se dentro da sua responsabilidade fiscal, ao encontrar o meio de subsidiar o programa com recursos extras, vindo da exploração de petróleo e gás, garantindo, assim, uma finalidade social ao papel que a Petrobrás deve exercer em benefício do desenvolvimento nacional.

A poupança de incentivo à permanência e conclusão escolar não será considerada para fins de cálculo da renda familiar para acesso a outros benefícios socioassistenciais.

CRITÉRIOS PARA GANHAR A BOLSA

A ideia do Governo é depositar um valor mensal em uma conta aberta em nome do estudante. Para ter acesso aos recursos, existem alguns condicionantes, como frequência escolar, não ser reprovado e também fazer a matrícula para o ano seguinte. Para os que estão no terceiro ano, também será exigia participação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Segundo uma pesquisa do Pnud, feita em parceria com a Firjan e o Sesi, divulgada no primeiro semestre desse ano, a evasão escolar é um dos principais problemas da educação brasileira. Só no ensino médio, 500 mil jovens largam os estudos por ano no Brasil. Os motivos são os mais diversos: necessidade de trabalho, para obter ganho financeiro pessoal e/ou ajudar a família. Entre os 20% mais pobres, menos da metade conclui os 3 anos desse período. Já entre os 20% mais ricos, o índice de conclusão passa dos 94%.

O estudo do Pnud mostra ainda que os jovens que abandonam a escola têm mais dificuldade para arrumar empregos formais e também possuem expectativa de vida até 3 anos menor que a média. Sem falar as perdas na economia, que chegam a R$ 220 bilhões.



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Jogos de pôquer Mapa do site

1234