Jogos de pôquer

SEÇÕES

José Osmando

Coluna do jornalista José Osmando - Brasil em Pauta

Isolamento de Netanyahu pode ser o sinal de fim da guerra

Netanyahu é hoje o líder mais longevo da história política de Israel, ocupando o cargo de primeiro-ministro por seis vezes

FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

O anúncio que acaba de chegar de que Israel e os palestinos chegaram a um acordo para um cessar-fogo de quatro dias, que possibilitará a libertação de reféns em poder do Hamas, em troca da libertação de 150 palestinos presos pelos israelenses, não é meramente uma trégua negociada entre os agentes desse conflito armado tão deplorável.

Faz-nos compreender, muito significativamente, que o primeiro-ministro Benjamim Netanyahu está perdendo força no seu afã de manter a guerra em tom elevado, que leva à morte milhares de palestinos na Faixa de Gaza, com ataques cruéis, indiscriminados, vitimando sobretudo mulheres e crianças e que têm merecido estrondosa reprovação mundo afora.

Netanyahu é hoje o líder mais longevo da história política de Israel, ocupando o cargo de primeiro-ministro por seis vezes, governando a nação com atitudes literalmente submissas aos princípios da extrema direita. Desde que foi reeleito, em novembro de 2022, para esse seu atual e sexto mandato e seu partido, o Likud, firmou uma aliança com o partido extremista de direita Sionismo Religioso, Netanyahu levou Israel a se tornar o governo mais direitista da história.

Se ele já tinha ponderáveis reservas de parte de setores mais liberais e abertos da sociedade, que imprimem claramente uma guerra interna identitária e cultural em Israel, a maneira truculenta como ele reagiu e seguiu agindo contra os palestinos após os ataques do Hamas de 7 de outubro, elevou a desconfiança e fez presente a censura aos procedimentos radicais por ele adotados. Nem as manifestações, de início, do presidente norte-americano Joe Biden, de escancarado apoio à luta contra o Hamas, teve peso para fazer parar o desgaste que Netanyahu passou a sofrer. Hoje, fala-se abertamente que o primeiro-ministro está cada vez mais isolado.

Daí, muito embora Benjamim Netanyahu venha declarando, logo após esse anúncio de agora, de cessar-fogo de 4 dias, que a guerra contra os palestinos continuará, é muito improvável que isso vá adiante no formato que o primeiro-ministro israelense concebeu e pretende levar adiante. Nem mesmo os Estados Unidos, que se revelaram um forte aliado de começo, mantém o mesmo vigor de aprovação às atitudes criminosas de Netanyahu.

DECLARAÇÕES DE JOE BIDEN

O primeiro sinal desse arrefecimento no ânimo norte-americano veio logo depois das declarações de Joe Biden, de que o domínio da Faixa de Gaza voltaria ao poder da Autoridade Palestina tão logo a guerra acabasse, e teve como resposta a afirmação direta de Netanyahu de que será Israel que ficará dominando essa área de conflito.

O comportamento de Benjamim Netanyahu nessa guerra infame está começando a trazer consequências políticas inquietantes para ele. Uma pesquisa recente do Maariv, jornal de circulação nacional israelense, mostrou que 80% da população do país acreditam que o primeiro-ministro deve ser responsabilizado pelas “falhas de segurança expostas durante o ataque do Hamas de 7 de outubro”, que fizeram o país compreender que a tão decantada inteligência e impecável arcabouço tecnológico de Israel nessa questão importantíssima para eles, não passavam de falácia para encantar o mundo e conquistar negócios.

Outra revelação que a pesquisa contém é de que, se as eleições fossem realizadas hoje, uma aliança centrista de partidos de oposição liderada por Benny Gantz conseguiria a maioria. E o que vem sendo observado, além das manifestas reações que o mundo tem revelado contra as práticas de Israel e em favor do restabelecimento da paz, é que o suposto governo de unidade, construído por Netanyahu com adversários políticos, a exemplo de Benny Gantz, tão logo os conflitos foram deflagrados, está ruindo, virando pó, fazendo o primeiro-ministro cada vez mais isolado, sem força para manter essa guerra inaceitável.

Ocessar-fogo de agora, pode, finalmente, pode ser o sinal tão esperado de que essa guerra está próxima do fim.



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Jogos de pôquer Mapa do site

1234